domingo, 9 de julho de 2017

A Morte do Amor...



Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora está escuro e frio...
O silêncio da noite rasga o meu coração...
A vida se acaba no passar do tempo.

Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora o mundo segue o seu curso sem repetição...
O único ruído cá dentro é o da minha respiração...
A lua se esconde em meio à imensidão.

Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora há perigo nas curvas do caminho do não...
O adeus é repetido quando negação...
A constelação me abandona no tempo.

Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora está frio e escuro...
O amor sangra inexequivelmente em minhas veias...
A morte guerreia com a vida na Terra do coração.

Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora a noite reina soberana sem indecisão...
O silêncio do mundo é premonição de desgraça...
A brisa do mar anuncia o perigo que se agiganta nas ondas da ressaca.

Cá estou acompanhada da minha solidão...
Lá fora a Terra continua a girar sem nenhuma interrupção...
O céu dá sinal do adeus final... 
A morte do amor é real.

Anna Mattos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário