quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A Dor...




A dor é imprevisível, é indelével, é desagradável, é derivada de algo ou alguém...
Não sinto somente a minha dor... sinto também a dor do outro... sinto, infinitamente, a dor do mundo...
A dor que dói em mim me paralisa... me aterroriza... me deprime...
Me deixa ansiosa, medrosa e triste...
Me deixa fria...
Me deixa dura...
Me deixa doente... ausente...
Não posso com ela, mas luto para que ela não possa comigo...
Nem ela...
Nem eu...
O mundo não para de girar...
Minha dor não para de doer...
Não paro por não conseguir pará-la...
Sigo o meu caminho...
Raramente choro... Lágrimas diminuem?! Lágrimas acabam?!
Se fria... se dura... se doente... se ausente...
Reacendo a fogueira... Remodelo o conteúdo... Remediarei ainda que por instantes... Renasço, reinvento-me, reapareço...
Não... a dor não me vence... não consegue me destruir...
Me levanto... junto os pedaços... prossigo...
O meu fim ainda não chegou... mas quando chegar... a minha dor já não mais será...

Anna Mattos.

2 comentários:

  1. A dor quando inevitável não deixa de ter seu lado positivo, quem a sente acaba percebendo que a única saída é lutar pela sobrevivência harmônica do espirito.
    Salgado

    ResponderExcluir
  2. Sei disso... ela pode apontar, até mesmo, a cura definitiva... você e a sua imensa doçura, que se contrapõe ao seu nome...

    ResponderExcluir