segunda-feira, 5 de outubro de 2015

As Cobras.




A Antiga Serpente, Satanás, Lúcifer, Príncipe das Trevas.
Diabo, do grego diábolos, que significa "aquele que coloca um contra outro".
Lilith, do mito hebraico, a deusa do caos, da destruição, da perdição, demônio que comanda seus filhos, os lilims: íncubos e súcubos.
Ofídios que, às vezes, possuem peçonha ou veneno e causam medo, dor e morte.

Áspide ou víbora, prepara o bote para atacar sua presa ou vítima.
Para Adão e Eva, no Jardim do Éden, a perda do paraíso.
Para Cleópatra, no Egito, o suicídio.
Para o povo guiado por Moisés, no deserto, o castigo e também o remédio.

Do veneno ou peçonha se faz o antídoto que cura.
São prudentes, se escondem, se camuflam.
São traiçoeiras, selvagens, silvestres.
São belas, possuem cores, simbologias, simpatizantes.

Lendas, mitos, ritos, religiões as mencionam e reverenciam.
O mundo inteiro as conhece e as teme.
A mim sempre foram muito próximas desde a tenra infância.
As piores nós abrigamos no seio.

Anna Mattos.

2 comentários:

  1. Muito bom, e todo cuidado é pouco, pq se camuflam em nosso meio, sempre esperando para dar o bote.

    ResponderExcluir
  2. Grata. Com certeza minha amiga. Sempre.

    ResponderExcluir