domingo, 13 de setembro de 2015

Minhas Meninas.




Minha vida sempre foi permeada de acontecimentos funestos.
Acumulo mais pranto do que riso.
Medos, perdas, mudanças muito bruscas, saudades, solidão, choro.
Vida sofrida... vida doída... uma vida intensamente vivida.
De repente, ao longo do caminho, o inusitado aconteceu: DEUS me presenteou mui generosamente.
Elas chegaram como o sol, para aquecer os meus dias frios.
Elas chegaram como a lua, para iluminar as minhas noites escuras.
Elas chegaram como bálsamo, para aliviar as dores das minhas muitas feridas.
Minhas anjinhas, minhas princesinhas, minhas meninas.
Elas trouxeram muitas alegrias na bagagem.
Elas trouxeram muitos sorrisos, para que eu vislumbrasse o que é felicidade.
Elas trouxeram muito aprendizado, para que eu me torna-se uma pessoa melhor.
Cada machucado dói mais em mim do que nelas.
Cada conquista me faz vibrar mais do que elas.
Quanto mais o tempo passa... mais sou surpreendida por elas.
Sabem ser fortes, sem perder a doçura.
Sabem ser independentes, sem abandonar o conselho.
Sabem ser brilhantes, sem desprezar a simplicidade.
Sabem ser belas, sem esquecer o recato.
Possuem o dom de encantar a todos por onde passam.
Me enchem de orgulho por nunca se desviarem da ética.
Já são mulheres, mas para mim serão sempre: minhas meninas.

Anna Mattos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário