quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Meu Conhecido.




Jamais esquecerei o dia em que o conheci...
Considero esse o dia mais especial e importante de toda a minha vida.
Acordei, por fora e por dentro, naquele dia tão lindo.
Olhei para o firmamento e concluí: existe alguém responsável por tudo isso e eu quero e vou conhecê-lo.
Aos oito anos de idade comecei a indagar todos sobre a autoria do Universo.
Adultos se sentiam assombrados e desorientados devido ao meu grau de especulação.
Meus pais até tentaram me explicar, mas não tiveram êxito.
Ninguém conseguia satisfazer a minha curiosidade.
Meus avós maternos foram convidados a uma viagem, para elucidar minhas elucubrações.
Na mala eles trouxeram um livro de capa preta com letras douradas: Bíblia Sagrada. Olhei desconfiada.
Não recordo quanto tempo durou aquela visita, mas só regressaram quando eu havia aprendido algumas coisas básicas sobre o meu novo conhecido.
Nunca mais parei a minha busca por saber mais e mais sobre o Criador de todas as coisas.
Isso sempre me fascinou indelevelmente.
A Teologia me atraiu, tempos depois, de forma magnética.
O aprendizado tem sido profundo e contínuo.
Ainda tenho muita coisa a descobrir.
Meu conhecido me surpreende a cada curva do meu caminhar.
Sempre se mostrando maior e melhor do que tudo que se possa imaginar.
Muitos outros livros li... com muita gente dialoguei... muitas dúvidas foram surgindo e também se dissipando.
Meu conhecido foi, simplesmente e maravilhosamente, se tornando o meu tudo.
Meu pai, meu irmão, meu amigo, meu confidente, meu mestre, meu DEUS.
Já discordei das suas atitudes, mas no final era sempre eu quem estava errada.
Já tive medo dele... Hoje é meu refúgio.
Já pedi licença para entrar em sua presença... Hoje me atiro em seus braços como criança.
Já fiquei muito zangada com ele... Hoje é o grande AMOR da minha VIDA.
Já fugi da sua vontade, por muito tempo... Hoje me rendo a ela, sem a questionar, porque sei que é o melhor para mim.
Já desconfiei da sua existência real... Hoje é a minha maior certeza.
Não existem palavras para expressar a nossa relação de afetividade e cumplicidade.
Apenas uma Aliança... Selada com Sangue.
E um Consolador... Que me sustem.
Ele me salvou de mim mesma.
Ele me amou primeiro.
Meu alento, nessa Terra, é saber que passarei a eternidade com esse MEU CONHECIDO.

Anna Mattos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário