segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Uma prece ao DEUS que, mesmo imerecidamente, nunca deixou de me AMAR...




Meu DEUS... SENHOR da minha vida... AMOR que faz morada em mim...
Eu jamais senti tanta necessidade de te dizer: muito, muito, muito obrigada...
Desde a minha concepção TU cuidas de mim... com um zelo extremo e imerecido... revelando o quanto eu sou amada por TI...
Não quero fazer essa oração, em público, por nenhum outro motivo senão o de mostrar ao mundo a minha gratidão...
Quantas vezes fui rebelde, fui inconsequente, fui ingrata... em muitos momentos até duvidei da tua existência... em outros TE culpei por culpas que eram só minhas...
Como me arrependo dos erros passados, e como dói saber que não tenho como voltar atrás para corrigi-los...
Uma órfã de mãe falecida e pai vivo é o que sou... mas apesar dessa situação, não posso dizer que estive sozinha... o teu AMOR sempre me cercou por todos os lados...
Em minha infeliz humanidade sempre pequei contra TI... contra mim... contra outrem...
Mas o teu PERDÃO sempre estava ali... me sendo oferecido de graça... mesmo que os pecados fossem recidivas...
O maior presente que já recebi foi o sacrifício de teu Amado Filho: JESUS, o CRISTO...
Pelo sangue vertido na cruz do calvário alcancei a SALVAÇÃO... venci a morte junto com ELE... ganhei a Vida Eterna naquele instante...
Tudo isso de graça... sem pagar preço algum... só me bastou CRER...
Também fui agraciada com a FÉ... que quanto exercito vejo tua GLÓRIA... vivi milagres... não foram poucos... nem tampouco pequenos...
Tuas MARAVILHAS em meu viver têm sido incontáveis, constantes e não merecidas...
Não quero falar hoje do que TU já fizestes por outros tantos, mas do que TU sempre fazes por mim, que me julgo insignificante diante da tua MAJESTADE...
Sim, eu sou depressiva... possuo uma doença melancólica... que me faz sofrer muito além do normal... trás angústias e ansiedades ao meu dia a dia... torna meus dias cinzentos e frios em todas as quatro estações... sou dependente de medicações, assim como outras patologias... mas eu jamais coloquei a culpa em TI... ao contrário das pessoas que costumam colocar a culpa dessa morbidade em mim... insinuando "pecados ocultos" como fizeram na desgraça de Jó... demonstrando preconceito, às vezes por ignorância, em outras ocasiões por uma falsa santidade que assemelha-se à crueldade de um carrasco... depressivos, para muitos, são pessoas possuídas e atormentadas por demônios... coitados... possuídos e atormentados são eles pela falta de CONHECIMENTO... não estou à descartar influências diabólicas no estado de saúde de algumas pessoas... sei que existem... mas também sei que para elas a libertação é sempre uma dádiva não distante... como queria que o meu caso fosse isso... TU já me libertastes de coisas ainda maiores, e, certamente, me libertarias desse dissabor... mas o CRIADOR de todas as coisas também cura... já vivi curas de doenças, muito piores, nas pessoas que eu mais amo nesse mundo... minhas filhas... eu orei... tive fé... elas sararam... nem sequelas... nem recaídas... só lembranças... de um tempo de muita dor e desespero... Então, por que também não obtenho a cura dessa doença?!... Suspeito que sei a resposta: essa maldita doença me torna mais HUMANA... não sei se seria quem sou sem ela... por isso não peço mais a cura... aceito a vontade SOBERANA do meu DEUS...
ADORAR a DEUS é muito fácil, quando tudo vai bem... agora, quando as coisas vão mal, tudo muda de figura... deixei de pedir "ouro e prata"... hoje peço AMOR... AMOR... AMOR... peço perdão... peço misericórdia... peço serenidade... peço tolerância... peço generosidade... peço humildade... peço paz...
Sempre gostei mais de doar do que de ganhar... hoje ganho mais do que posso dar... mas isso falando de coisas materiais...
Já precisei de pessoas que não me serviram, mas quando as mesmas precisaram de mim, as servi prontamente...
Por isso, hoje, meu PAI das LUZES, não vou te pedir absolutamente nada... eu só quero TE agradecer... por teu AMOR... por meu AMOR... pelo AMOR que ainda existe nesse mundo tenebroso... cinzento... frio...
Encerrando a minha oração, quero citar um dos meus poetas preferidos, porque sei que o gosto pela poesia também foi mais uma dádiva tua meu AMADO e ETERNO DEUS... AMAR sempre... como escreveu o CDA em "AMAR": "Amar a nossa falta mesma de amor... e na secura nossa... amar a água implícita... e o beijo tácito... e a sede infinita." Amém.

Anna Mattos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário