quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Não sei... Em homenagem ao Diego... Que só eu sei...




Poema: Não sei.

[Por que] te [quis] assim? Não sei dizê-lo.
Vi-te uma vez, e, mal te conheci,
tanto o meu coração foi para ti,
que [tive] até receio de perdê-lo.

[Por que] é tão linda a cor do teu cabelo?
[Por que] será que a tua boca ri?
Eu posso lá saber porque te vi.
Deus sabe lá porque te fez tão belo?

O amor é sempre vago, sempre errante.
Diz muito, é certo, e nunca diz bastante;
é tudo e nada; é crente, mas [descreio].

[Por que] te quis? Mas que me importa a mim!
Vivo neste mistério, sempre assim.
Vivo d'amar-te sem saber porque.

Virgínia Victorino by Anna Mattos.

P.S.: Garimpada no caderno de poesias da minha falecida mãe, e compartilhada com vocês com muito afeto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário