quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Fundamentos Psicológicos Para Uma Nova Pedagogia Da Leitura.



Texto: GUSMÃO, A. K. O. - Teóloga e Professora.

O ato de ler explicitado: o relacionamento entre o homem e o mundo (que está presente dentro do homem) não se apresenta de forma clara, que possa ser submetido a uma análise - ele (o relacionamento) pode estar presente, isto sim, para uma ratificação a ser feita pelo próprio homem.

A mensagem a ser lida é sempre palpavelmente encontrada no mundo, isto é, no cotidiano da vida do leitor. É dessa e nessa vida que o "lido" ganha significado.

A leitura supera o documento impresso (que é real e presente-à-mão) para atingir ou desvelar o texto, cujo modo de existência vai depender do conjunto de experiências do próprio leitor.

Em parte, a importância da palavra escrita como um fenômeno não se esgota nela mesma, mas na ação de atribuição de significado, exercida por um leitor.

Todo texto apresenta uma unidade possível de significado. Possível porque depende da experiência prévia do leitor que o confronta.

Leitura sem compreensão e sem recriação do significado é PSEUDO-LEITURA, é um empreendimento meramente ôntico.

Na ótica da PSICOLOGIA ONTOLÓGICA, o ato de ler sempre pressupõe um enriquecimento do leitor através do desvelamento de novas possibilidades de existência.

"Finalmente, lembramos que as crianças nunca chegam à escola num estado de ignorância, mas podem chegar analfabetas. Elas talvez não saiam analfabetas, mas podem sair ignorantes..." Ezequiel Theodoro da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário