sábado, 15 de setembro de 2012

Salmo 150


"Louvai ao SENHOR. Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder.

Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza.

Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa.

Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos.

Louvai-o com os címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes.

Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR."




Um comentário:

  1. Louvo ao Senhor com minha existência.

    Viver na dependência de Deus é uma das maiores e melhores experiências que nós podemos ter.
    Já fazem alguns anos que perdi tudo o que tinha. Tudo que me dava segurança. Tudo que me dava algumas falsas certezas.
    Desde que comecei o Seminário começaram as perdas. Uma após a outra. A cada uma delas, o meu medo aumentava, pois, no fundo, sentia que outras perdas ainda maiores viriam.
    Elas vieram. Pequenas, médias e, também, grandes trajédias. Perdi emprego, perdi bens, perdi dinheiro, perdi meu 'status quo', perdi filhos em vida, perdi filhos em morte, perdi marido, mas ganhei uma FÉ ainda maior e melhor. Eu vivi algo parecido ao que Jó viveu.
    Hoje vivo na dependência, exclusiva, da misericórdia divina. Não possuo mais "nada". O luxo se foi. Os "amigos" se foram com ele. A "família" se foi.
    A pobreza é como a lepra. Nos torna uma pessoa banida do convívio social. Nos dias que vivemos, você vale aquilo que você possui: muito, pouco ou nada. Atualmente não valho "nada".
    É difícil aprender a viver assim, mas não é impossível. Durante todo esse tempo de aprendizado, nunca me faltou VIDA. Se adoeço, sou curada. Se entristeço, sou consolada. Se me ferem, Deus me sara. Se me ofendem, Deus faz justiça. Se me desprezam, Deus me acolhe. Nunca me falta: ar, água, alimento e AMOR.
    Possuo uma saúde e um viço invejáveis na minha idade. Resido confortavelmente. Meus filhos estão encaminhados e melhores que eu anos luz. Minha despensa está sempre repleta, possuo uma diarista, só me locomovo de táxi, frequento salão de beleza, me visto com certo requinte, fiz especializações, leio ótimos livros, faço caridade...
    Hoje resolvi dar meu testemunho, pois ao terminar uma das minhas leituras percebi que, assim como o autor do livro, tenho vivido pela fé e NADA me falta.
    Quando parei para avaliar minha "pobreza", me deparei com uma riqueza incomum. Sou pobre de falsos amigos e de familiares interesseiros, graças a Deus. Sou rica da BENÇÃO de Deus. Ele tem me bastado.
    Quantas vezes ao ouvir testemunhos, como o que estou dando, julgava quem os dava como imprudente. Não imaginava que quando se vive essa condição não é por escolha, mas é por imposição.
    Muitos de nós só exercitamos a nossa fé se estivermos, constantemente, a beira de um abismo.
    Muito obrigada, meu Senhor, pela falta, sempre suprida.

    O.G.

    ResponderExcluir