quinta-feira, 28 de junho de 2012

O que foi, o que é, o que será...



Hoje despertei nostálgica... Senti saudades do passado que não vivi, mas gostaria de ter vivido... Não das coisas que deixei de fazer na minha existência, mas das coisas que ocorreram anteriores ao meu nascimento... Aquilo que aprendi com os mais velhos, quando me falavam do "seu tempo"... Do tempo dos seus avós, bisavós, tataravós... Faço parte de uma família longeva... Tive o prazer de conhecer minha tataravó, minha bisavó e todos os meus avós: paternos e maternos... Aprendi muito com todos eles... Eu os "escutava"... Quando quebrei a cara foi porque deixei de seguir algum dos sábios conselhos por eles recebidos... A cada queda me vinha à memória as palavras que deixei de seguir, para fazer o que meus impulsos me mandavam... Vivemos num mundo onde ninguém mais se "escuta"... Escutar os mais velhos? Fala sério! Hoje nossas crianças e nossos adolescentes aprendem com os adultos, através do mimetismo, que tudo que é velho não presta: carros, computadores, celulares, roupas, sapatos, objetos e pessoas... Triste mundo esse nosso... Me sinto fora de lugar... Ainda olho pro céu (mas penso no buraco na camada de ozônio), pro mar (mas penso na quantidade de lixo que polui nossos oceanos), pras plantas, suas flores, seus frutos (mas penso nos agrotóxicos, nos trangênicos), pras pessoas (mas penso no que elas estão se transformando, na eutanásia, no aborto, na promiscuidade, na falsidade, no "ter" em detrimento do "ser"), pros adolescentes (mas sinto medo do que serão no futuro), pras crianças (mas sinto apreensão em relação ao futuro delas), pro mundo (mas sinto pena quando penso o que vem pela frente)... Se eu estou triste? Eu diria que hoje até que não... Imaginem quando eu acordo triste... Rsrsrs... Que DEUS nos abençoe!

Anna Mattos


Nenhum comentário:

Postar um comentário