sexta-feira, 6 de abril de 2012

Na Cruz do Calvário


Hoje é o dia onde é indesculpável não nos lembrarmos dessa cena... Porém, acordei as 6h da manhã com música alegre e profana vinda dos meus vizinhos, gargalhadas, gritos, algazarra, ou seja, a típica cena de um feriado qualquer, como o carnaval, por exemplo... Me senti tão mal com o que sentia no ambiente externo, que só tive coragem de levantar-me da cama às 14h languidamente... Tomei meu café da manhã, ops, café da tarde e, como me encontro sozinha, pela primeira vez não participei do ritual do almoço típico da "Sexta-Feira da Paixão"... Tomei água, um iogurte de morango, café com leite, bolachas de padaria, manteiga, ricota, só que, de repente, me deparei com o ritual familiar e cultural: não vou comer peixe, porém blanquet de peru defumado, que heresia, será que pode? Sorri pra mim mesma e me deliciei com a minha refeição "pecaminosa"... O que nos contamina não é o que entra pela boca, mas o que sai dela... Gostei, porque pude pensar mais e melhor no sacrifício que Jesus Cristo fez por nós na cruz do calvário naquela sexta-feira... Quanta religiosidade vazia... Quantos rituais ocos... O que DEUS quer é que nosso corpo seja templo do seu ESPÍRITO SANTO... Pensei na bebedeira e na glutonaria dos meus vizinhos e então comparei: certamente todos comerão peixe, já a "herege" aqui: blanquet de peru defumado... Sorri novamente e pensei: será que eles sabem que dia é hoje? Eu sei. A Jesus Cristo o meu muito obrigada pelo seu sacrifício sobre-humano por mim que não valho nada e nem nada sou... A honra, a glória e o poder, pelos séculos dos séculos, ao meu Senhor! Te adoro meu AMADO JESUS CRISTO!!! Foi assim, com muita dor, suor e sangue, que conquistastes minha salvação!!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário