sábado, 18 de fevereiro de 2012

O Amor, a Justiça e a Misericórdia de DEUS

"Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!

Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.

Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR.

Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?

Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações."

Jeremias 17:5-10

Sempre que ouço alguém falar com veemência sobre o AMOR de DEUS, percebo, de relance, que se trata de alguém que encontra-se na prática do pecado, angustiado, oprimido, confuso, sofrido pela culpa que sente, ou seja, uma pessoa perturbada pela sua própria consciência, que não para de acusá-la.

Quando me permitem a abordagam, quase sempre o fazem, porque tudo o que mais desejam é uma ratificação de suas idéias para acalmar os seus coroções conturbados, faço questão de elucidar a JUSTIÇA de DEUS como intrínseca ao seu AMOR. Explico que DEUS não pode ser somente AMOR, porque a injustiça não faz parte do AMOR, logo para ser um DEUS de AMOR é indelével ser JUSTO também e vice-versa.

É duro ouvir isso? É claro! Costumo brincar com os meus familiares e amigos, mais próximos, dizendo que mesmo que DEUS me coloque para arder nas labaredas de fogo do inferno, ainda lá eu continuarei a adorá-lo e adimirá-lo, porque "O" saberei DEUS VERDADEIRO: Amoroso e Justo. Justo e Amoroso. Essas duas condições são indissociáveis para DEUS e para cada um de nós. Ponderemos: como poderemos amar e compactuar com as injustiças? Se eu ou você, formos para o inferno é porque merecemos o castigo eterno de acordo com a JUSTIÇA de DEUS. Isso não exclui o seu AMOR. Apenas reitera-o.

Só existe um detalhe nisso tudo: o AMOR e a JUSTIÇA de DEUS vêem acompanhados de uma MISERICÓRDIA incomensurável. Contudo, não devemos abusar da tolerância de DEUS em relação aos nossos erros, porque uma coisa é errar, eventualmente, e outra, muito diferente, é viver na prática do erro. Com o tempo, a mente do indivíduo que tem uma vida errônea fica cauterizada e ele não sabe mais as dimensões dos seus atos e as implicações deles, nele próprio, nos outros e no mundo de maneira generalizada. Lembram do efeito borboleta? Pois é, também acontece com os nossos pecados. Todos eles, grandes e pequenos, desembocam em consequêcias.

Outro pormenor, pecar não é tão somente cometer um ato, mas, às vezes, deixar de cometer um outro ato qualquer, ser conivente ou omisso com a prática de algo que não agrada a DEUS etc. Tudo é muito mais complexo do que nós imaginamos...

Que o DEUS amoroso e justo nos abençoe e tenha misericórdia de todos nós!!!

Anna Mattos.

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido."

Gálatas 6:7-9

"Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda."

Apocalipse 22:11



Nenhum comentário:

Postar um comentário