terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

HOMEM DE FERRO X HOMEM DE AÇO

"Dois tipos de pessoas que convivem conosco e influenciam nossa existência." Autor: Robson Lelles Livro: Os Planetas se Alinham em Torno do Sol "Como o ferro com ferro se aguça, assim o homem afia o rosto do seu amigo.(Provérbios 27.17) Se estiver embotado o ferro, e não se afiar o corte, então se deve redobrar a força; mas a sabedoria é excelente para dirigir.(Eclesiastes 10.10) Pode alguém quebrar o ferro, o ferro do norte, ou o aço?(Jeremias 15.12) Não, não escrevo hoje sobre dois filmes que disputam bilheterias milionárias nos cinemas. Também não escrevo sobre títulos campeões de popularidade nas histórias em quadrinhos. Escrevo sobre dois tipos de pessoas que convivem conosco no dia-a-dia e que influenciam nossas existências a partir de seu testemunho. Eu os chamo de "Homem de Ferro" e "Homem de Aço". Em essência, eles tem a mesma origem, mas algo aconteceu na trajetória do segundo, que o diferenciou do primeiro de tal forma que o tornou de certa forma mais poderoso. Não considero que um seja melhor que o outro. Aliás, ambos tem o seu lugar no mundo. Mas antes, creio serem necessárias algumas considerações: Na Antiguidade, a conquista da metalurgia do bronze - uma liga metálica de cobre e estanho - significou um tremendo avanço tecnológico, só superado pela conquista da metalurgia do ferro. Mais tarde, com a conquista da siderurgia - ferro transformado em aço -, o mundo experimentou um salto tecnológico nunca dantes experimentado. Os utensílios de ferro tendem a ser mais rústicos e pesados que os de aço para poderem realizar as mesmas funções, porque o ferro é mais quebradiço, ao passo que o aço é mais flexível. O ferro só consegue tomar forma se for submetido a altíssimas temperaturas, que o derretem (ponto de fusão) e permitem que ele seja despejado em forma líquida num molde de onde, depois de frio, é retirado para o acabamento e então encaminhado para o fim que se destina. Nesse ponto, retorna à rigidez original, podendo se quebrar se for submetido a um esforço extremo. O aço consegue tomar forma sem precisar derreter (ponto de forja). Antes de se tornar líquido, podemos molda-lo e dar-lhe formas mais delicadas e leves, porém resistentes a esforços extremos e flexíveis, que não se quebram com facilidade. As molas dos automóveis são feitas de aço. Mesmo submetidas a esforços repetitivos sempre retornam à forma original. As lâminas mais cortantes são feitas de aço, do bisturi ao machado. O ferro é magnetizável: se colocado sob a influência de um campo magnético, ele se torna um imã. Porém, uma vez desligado desse campo magnético, ele volta a ser o que era antes, como se nada tivesse acontecido. O aço também é magnetizável: se colocado sob a influência de um campo magnético, ele também se torna um imã. Porém, mesmo depois de desligado desse campo magnético, ele ainda retém um pouco do magnetismo que lhe foi induzido. O ferro oxida em contato com o ar e tende a se tornar mais quebradiço e frágil com o passar do tempo. O aço pode mesmo ser inoxidável, mantendo o mesmo aspecto por muito tempo. O que impressiona nessa comparação é que o aço é quase que totalmente constituído de... ferro! A diferença está no fato que ao minério de ferro foi adicionada uma pequena quantidade de carbono, que combinada ao minério, muda suas características, gerando o material que permitiu um enorme progresso à humanidade nos últimos séculos. Assim também é a diferença entre o homem natural e o homem renascido do Espírito. O primeiro é como o ferro fundido: pesado, duro, inflexível, quebradiço, sujeito à corrosão, já quase sem aplicação útil nos dias de hoje. O segundo é como o aço forjado: leve, flexível, resistente, menos sujeito à corrosão, extremamente útil e necessário às obras grandiosas de que a humanidade tanto necessita. O que torna o ferro em aço é o carbono. O mesmo minério vai para a fornalha. Um sai exatamente como entrou, porque não lhe foi adicionado carbono. O outro sai melhor do que quando entrou, porque lhe foi adicionada uma pequena quantidade de carbono. O que torna o "Homem de Ferro" em "Homem de Aço" é a presença do Espírito de DEUS no seu coração. Quando submetido à fornalha, sairá dela melhor do que quando entrou: mais forte, mais resistente, mais leve, porque DEUS é com ele. Em Lucas 17.6 lemos: "E disse o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te daqui, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria." A diferença entre uma barra de ferro fundido e uma barra de aço forjado é uma quantidade pequena de carbono. A diferença entre o "Homem de Ferro" e o "Homem de Aço" é a fé, que não chaga ao tamanho de um grão de mostarda, mas que ainda assim faz toda a diferença neste e no outro mundo. Talvez seja por isso que, nas histórias em quadrinhos, o Homem de Ferro sempre precisa trocar de bateria, enquanto o Homem de Aço simplesmente diz: "Para o Alto, e avante!". Que o Espírito de DEUS transforme todos os Homens de Ferro em Homens de Aço, pois é Seu desejo que ninguém pereça, mas tenha a Vida Eterna. Amém."

Nenhum comentário:

Postar um comentário