terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Uma Garota Sapeca, porém Sincera X Um Pai Severo, porém Amoroso...

Naquele dia a garotinha sapeca acordou decidida a fazer a estripulia que o pai severo sempre a advertiu que se fizesse seria muito danoso para ela... Ela ficou atemorizada com a ameaça, pois imaginou que o "muito danoso para ela" seriam umas belas chineladas, que ele lhe daria caso ela o desobedecesse... Porém o impulso de cometer a traquinagem era, indescritivelmente, irresistível... Ela estava decidida, iria cometer aquela sapequise e arcar com as conseqüências, por piores que fossem, afinal, o que eram algumas chineladas? Sorrateiramente, saiu de casa dizendo que iria brincar nas redondezas, como era de costume, e foi até o local do delito, o local proibido... Ela começou a escalar os rochedos, acidentadíssimos, porque queria usar o caminho mais curto para chegar até o lago... De repente, um escorregão e a garotinha rolou pedreira abaixo... Não, ela não morreu, mas ficou, tangivelmente, machucada com os arranhões e, intangivelmente, machucada porque desobedecera o seu querido papai... O que mais ela poderia fazer agora? Nada, teria que usar de sinceridade quando chegasse em casa para obter a ajuda do pai com os ferimentos que sangravam e ardiam muito... Voltou para casa chorando e pensando na surra que ainda iria levar, mas precisava cuidar dos machucados, não tinha uma outra alternativa... Quando entrou em casa, acanhada e naquele estado, foi direto ao pai e confessou a estripulia que fizera, pedindo perdão e ajuda... Ele, calmemente, cuidou das suas escoriações com medicamentos e cuidados para que os curativos não a deixassem ainda mais sofrida... Depois, ela pensou: "agora vem a surra", ele reclinou-se sobre ela, a abraçou, a beijou e em seguida falou: "Eu não disse a você que se você fizesse isso iria ser muito danoso para você?" A garotinha ficou surpresa, envergonhada e maravilhada com a reação do seu pai... Então, quando ele a prevenira, não fora uma ameaça, fora um conselho para evitar o acidente que ela sentia as dores em seu corpo e, agora, em seu coração, com a atitude amorosa do pai que a constrageu e a fez sentir-se aliviada, envergonhada e culpada... Tudo ao mesmo tempo... Ela disse: "Perdão papai, nunca mais farei isso, eu prometo." Ou seja, a garotinha, finalmente, aprendera a lição: a desobediência traz conseqüências danosas para quem desobedece... Sempre que seu pai lhe dissera "Não faça; Não vá; Não desobedeça". Isso não significava uma ameaça, mas um gesto amoroso para que ela não sofresse os danos... Autora: Anna Mattos

Nenhum comentário:

Postar um comentário